quinta-feira, 13 de outubro de 2011


FIGUEIRA BRAVA
As figueiras são plantas, geralmente árvores, do gênero Ficus, família Moraceae. Também são conhecidas como ficus, gameleira (ou gomeleira).  Há mais de  750  espécies de figueiras no mundo  especialmente em regiões de clima tropical e subtropical e onde haja presença de água. O gênero Ficus é um dos maiores do Reino Vegetal.   As figueiras de grande porte  não são indicadas para serem plantadas junto a construções pois suas raízes podem danificar  as mesmas.   As figueiras  fornecem alimentos a aves, símios, morcegos e outros animais dispersores de sementes,  têm importância na preservação das vegetações nativas tropicais e subtropicais.  Algumas espécies de  figueira não tem frutos comestíveis.  Os figos caídos no solo e na água servem também de alimentos a vários outros animais, incluindo peixes e insetos.

Morfologia

As figueiras são normalmente árvores, mas  algumas espécies não cresçem  muito e permaneçam como arbustos. Em todos os casos são plantas lenhosas, muitas com caule de forma irregular ou escultural, com raizes adventícias e superficiais. As folhas são alternas, usualmente providas de látex. Nas extremidades dos galhos ocorrem estípulas. As flores são diminutas, unissexuais, reunidas em inflorescências especiais denominadas sicónios, que consistem em um receptáculo fechado, com as flores inseridas no lado de dentro, e um orifício de saída no ápice, ou ostíolo. A expressão sicónio tem origem no nome de figo em grego (sykon). Os frutos são aquênios que amadurecem dentro do próprio sicónio, formando, por consequência, uma infrutescência.
As principais diferenças entre as espécies referem-se ao porte, forma do caule, forma, textura e consistência das folhas, cor, textura e forma dos sicónios. Há quatro subgêneros   de Ficus separados entre si por características microscópicas em suas pequenas flores ou pela ocorrência de plantas dióicas (hermafroditas e femininas) ou de monóicas (hermafroditas). Outros autores  (Berg, C.C. 2005) propõem 6 subgêneros: Pharmacosycea, Urostigma, Sycomorus, Ficus, Sycidium, e Synoecia.
As figueiras ocorrem em todos os continentes,  menos na  Antártica.
A figueira do figo comestível (Ficus carica) é a primeira planta descrita na Bíblia, quando Adão se veste com suas folhas, ao notar que está nu.  A origem da espécie parece ser do Oriente Médio.
O figo comestível era cultivado em todas as civilizações do Mediterrâneo na antigüidade, incluindo os povos egípcios, judeus, gregos e romanos. O figo comestível tinha a vantagem de poder ser secado e se manter adequado à alimentação durante meses. Para atravessar o deserto, os povos antigos do Oriente Médio e norte da África utilizavam frutas secas, entre elas o figo, ricas em nutrientes e fáceis de conservar.
O figo é considerado um fruto sagrado para os judeus. Ele faz parte dos sete alimentos que crescem na Terra Prometida, segundo a Torá (Deuteronômio  8), o Antigo Testamento dos cristãos. São eles: trigo, cevada, uva, figo, romã, oliva e tâmara.  Arqueólogos israelenses descobriram queo figo já era cultivado na cisjordânea  a 11.400 anos. Ao contrario do que muitos acreditam, a figueira brava descrita na história de zaqueu, não tinha espinhos. 

4 comentários:

  1. obrigado por conhecer o meu blog, algumas informações precisam ser atualizadas e outras ampliadas, qualquer sugestão será bem aceita para enriquecimento dessa pagina.
    Neto Lozano

    ResponderExcluir
  2. Existe alguma espécie de figueira com espinhos

    ResponderExcluir
  3. Existe alguma espécie de figueira com espinhos

    ResponderExcluir